terça-feira, 16 de março de 2010

Fim...

Faz, dentro de um mês, um ano que não publico nenhum texto, muito menos, feito sentimento. Não… Não deixei de escrever. Bem pelo contrário. Escrevo. Continuo a fazê-lo, e nesta fase, de forma ainda mais intensa. No entanto, algo me tem levado a desviar-me um pouco da escrita aqui, para a poder fazer, de forma mais pessoal e organizada num outro espaço, de momento, apenas meu, mas que se tornará a curto ou médio prazo, uma partilha minha… E mais não digo.
De qualquer das maneiras, entretanto, e como sugestão de algumas pessoas mais queridas, decidi criar um outro espaço, mais orientado para o meu lado Profissional, que muito prezo! Tenho andado dividida entre ele e a escrita de âmbito mais pessoal. Tempo? Tenho! E para muito mais! É uma questão de me saber organizar. E sei, porque para o que gostamos e para quem gostamos, conseguimos sempre um tempinho…!
Bem, sem mais me alongar, e para os mais curiosos e que pretendam continuar a seguir-me, deixo o endereço do Blogue no qual me tenho empenhado. É o Blogue da minha Turma, no qual, estão visíveis alguns dos muitos trabalhos desenvolvidos pelo grupo.
http://paredesdecoura2c20092010.blogspot.com/

Algo Pessoal? Como disse, a curto ou médio prazo… Um Sonho, Uma Realidade que se me atravessará no Caminho!

E este Blogue? Bem, Já fez muito sentido na minha vida. Mas, prefiro não lhe dar continuidade… Ficará pelos momentos bons que nele partilhei, pelos sentimentos que registei e pela convivência que dele consegui retirar.
Por fim, deixo o meu agradecimento a todos aqueles que contribuíram para o crescimento e riqueza do mesmo!

O Meu Muito Obrigada!

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Há Momentos Assim...


Há silêncios que me tocam a Alma e me desafiam o Coração.

terça-feira, 14 de abril de 2009

Sinto Os Meus Olhos Pesados...

“Sinto os meus olhos pesados”

Esta foi uma expressão que utilizei ontem, fruto de uma questão que me colocaram.
Muitas vezes não atribuímos o devido valor a perguntas que para muitas pessoas se tornam banais pelo sentido constante que lhes dão. Eu, procuro, em cada questão, pronunciar-me de acordo com o que sinto, da forma como me encontro e até mesmo tendo em conta o que vivo no momento. Claro está que cada pergunta, realizada a pessoas diferentes e em momentos também diversos, poderá ser sinónimo de interpretação e consequente resposta de carácter diversificado. Não condeno esta atitude, mas considero que a espontaneidade sem se pensar, também não nos permite, pelo menos sempre, sermos verdadeiros na revelação do nosso estado…
Hoje de tarde, depois de ter regressado da minha caminhada, estive a “conversar” com uma pessoa que me tem marcado bastante ultimamente. Não que não o tenha feito antes, mas sinto, que nesta fase, para mim, mais “pesada” se tem tornado uma verdadeira revelação de Amizade e Apoio. A Né (Manela) “é toda ela ouvidos” quando começo a falar de mim. Tal como eu, ela demonstra apreciar o valor de uma resposta, como consequência de uma questão. Não ignora o que se diz ou responde… pelo contrário, ela apresenta todo um sentido de bastidão e conteúdo nas respostas que pronuncio. É bastante agradável a forma como me anima, como me faz sentir bem, pelo menos naquele momento que para mim se estende para lá de um instante…
Esta tarde, durante a nossa conversa, disse-me que estava a cantar. Eu sorri. Parecia que tudo o que tenho vivido, se apagava ali, com aquelas palavras. Ao tempo que não me sentia tão bem ao sorrir. Logo eu que considero o sorriso uma das formas mais facilitadores para se encarar cada dia… A minha Amiga quis partilhar comigo aquela música que estava a cantar e escutar. Eu escutei também. Ouvi cada palavra, senti a letra e chorei ao a relacionar com os meus momentos de vivência presente. No fim, sorri de novo e acreditei na letra como se tivesse sido criada para mim… Tão tocante, de enorme carga sentimental, parecia que tudo se transformava e que, nela, eu poderia ver, muitos dos meus actuais sonhos, concretizados. Pelo menos ali… ali, eu senti… senti o que não quero sentir nesta realidade. Senti que não posso viver agarrada a uma dor que teima em se manter. Senti que não posso deixar que os sentimentos que trago pregados no coração, me destruam, pouco a pouco, Não posso deixar que o façam. Não quero acreditar que, sentimentos tão Lindos e Verdadeiros, me possam deixar assim… Senti que a minha realidade actual não pode continuar assim. Senti que tenho de agir, agir sem fugir com o receio de não o conseguir fazer. Senti que não posso desistir de ultrapassar estes sentimentos logo no primeiro momento em que me sinto mais frágil. Agora, e neste momento, sinto que a força que tenho e quero continuar a ter, me irá ajudar a “afogar” o que sinto e o que me deixa sem motivos de manifestar o meu sorriso…
Se agora o faço, faço-o por mim, porque não quero mais sentir-me Assim e por Ti Amiga que tens sido, em muitos momentos, a força que vou buscar e encontrar, nem sei muito bem onde. Obrigada Minha Querida Amiga! Adoro-te, não sabes o quanto :)
Escuta agora e comigo as palavras que nos “aqueceram” a Alma durante esta tarde.

Sinto os olhos pesados, mas sei que as lágrimas que talvez “espirre” agora, serão apenas mais algumas… No entanto, acredito que um dia, elas terão fim...

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Palavras Tão Reais...

Queridos leitores do meu blog,

Estou aqui hoje para partilhar convosco uma das músicas que sinto que foi criada para os Anjinhos que tenho no céu.
Nos últimos anos, a minha vida tem sido marcada por partidas físicas de pessoas que tornaram os meus dias mais brilhantes e o meu sorriso, uma constante. Falo essencialmente do último ano em que vi partir, primeiro o Luís, aquele que foi, e será sempre o Amigo, mas principalmente o Amor e a pessoa com quem vivi os mais belos momentos, ultrapassando dificuldades e superando cada barreira; segundo, a minha Querida Avó materna a quem nós, os netos, sempre chamamos ou tratamos por “Mãezinha”, porque foi com ela que aprendemos os ideais básicos da vida, porque foi ela que nos educou e porque sempre foi quem nos ensinou a ajudou a crescer, olhando o mundo e encarando-o como ele realmente é.
Ontem, em conversa com a minha irmã, descobrimos uma música que nos pareceu ser criada em sua homenagem. Mas esta música já existia antes de ela partir. No entanto, como pode, uma música, ser o retrato real daquilo que me aconteceu? Como pode ela espelhar tão bem aquilo que sinto? Tudo isto me deixa a pensar…
No ano passado, quando “perdi” o Meu Amor, muitas pessoas disseram que deveria procurar distrair a minha cabeça com a música… Hoje sinto que isto realmente faz sentido. Quando escuto esta de que vos falei, sinto que a minha Querida Avó está bem, que ela está feliz e que sorri quando sabe que eu escuto esta música e que a mesma me faz pensar nela… Como se isto fosse preciso…
Sinto uma enorme paz quando o faço. Sinto que, mesmo no outro mundo, podemos ser felizes… E acredito que todas as pessoas que eu já vi partir, o sejam. Afinal, foram elas que despertaram, em muitas situações, o meu sorriso para encarar cada dia.
Passo a apresentar a música de que vos falo. Eu não a conhecia, mas agora dou-lhe um tão real sentido…
Sem Dizer Adeus – Tony Carreira

video


Aqui, o verão já se acabou
O Outono já chegou
E tu não estás
Tu já não estás
E tanto em nós mudou
Aqui, motivos p'ra sorrir
Não são iguais sem ti
Há dor a mais
Saudade a mais
Por teres partido assim
Refrão:
Sem dizer adeus
Sem ninguém esperar
Veio aquela madrugada
O teu caminho se acabava
Sem dizer adeus
Sem ninguém sonhar
Teu destino fez a hora
E tão cedo foste embora
Sem dizer adeus
Aqui, a vida vai seguir
Mas faltas tu aqui
Em todos nós
P'ra todos nos
Por teres partido assim
Refrão:
Sem dizer adeus
Sem ninguém esperar
Veio aquela madrugada
O teu caminho se acabava
Sem dizer adeus
Sem ninguém sonhar
Teu destino fez a hora
E tão cedo foste embora
Sem dizer adeus
Aqui, o verão já se acabou

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Onde Um Beijo Foi Parar...


Hoje senti a vontade de rir e sorrir. Li e reli um texto criado no ano passado com o Meu Anjo... As saudades que tenho!

Su - Dá-me um beijo!
Lukinha – Vais com sorte vais…
Su – Mau, não dás?
Lukinha – Achas que me ia dar ao trabalho de levantar da cadeira apenas para ‘1’ beijo?
Su – Oh pah, é naquela… Se não te queres levantar só para me dares um beijo, dás-me mais…
Lukinha – ya baby tens razão mas vamos lá ver…
Su – Ver o quê?... lol…
Lukinha – Essa do ‘lol’ é butes, a pessoa lança esse pretexto como opção de riso. Mas lá no fundo, bem no fundo, ao lado do intestino grosso, não sabe para que significa…
Su – eu uso o “Lol” como reflexo da força do hábito e como o meu sorriso não marca pela diferença, expresso-me desta forma…
Lukinha – lol lá está
Su – Não é “lá está”…. Lol, é “está lá”…
Lukinha – Já pareces uma Madame a atender o telefone, se fosse na província seria apenas ‘tá????’ ou ‘tou…’ lol…
Xu – Max tu xabex o que me extá a apetexer?
Lulu de Luxemburgo – Quelaro q num sei, tas a mirar, deve petecer-te tudo e mais alguma coisa Belhota….
Xu – ya, Max xavex, já maxcaba alguma couxa… praí um lonvito de voi…Lu da Silva ­– Fosgasse, tambenne não sejas assim catano, lonvos de voi não ser bom para a digeston, temos entremanada de baca na congeladeira…
Xu – Hum, parexe-me vem. Max xavex xe sovrou algum rixol donte?
Lu Lu e Lu –Sei la eu, é uma kestao dir ao fritorificado ver Sá inda algum…
Xu – eu bim de lá agora…. Xó bi xardinhax im lata e vaca lhau dexfiado numa prataleira.
Lu – Nexe cazo, bamos ber o que áh mais, cavrito ou fevaras…
Xu – eu num bi lá nada dixo. Max xe procurar vem ate xencontra. Num xei, digo eu…
Lu – Ehpá2O, já incuntrei um pakote dirvilas na ssesta do pom….
Xu – pronto, já tá milhor axim. E pa vuver há alguma vuvida?
Lu – eu bi la binho, ou bodeca, e ce qiser á xampanhe do vom, ou agua das vicas…
Xu – ora atom, para mim pode xer uma taxa com xinco irvilas dax maix berdinhax e uma mauga dauga dax pedrax…
Lu – ta vom, bou so desfinar o resto do vaca lhau e já merendamos…
Xu – xerto, eu expero por tu atom… Max num ta demorex. Tou Cuma fome…
Lu – Bou so Mudar a auga da Vovia….
Xu – a cadela tem xede?
Lu – Num sei mas Orenou a carpati toduinha, volas…
Xu- xi, exa tua cadela é uma mixona!
Lu – É um spetakulo, faz-te cada bite de procraria ke duma peçoa ficar cu a cabessa na lua…
Xu – foxgaxe, inda vem ca cadela é de tu…
Lu – Mas andu a pensar venduer a bixa, salguem tiver intereéçado nela…
Xu – cum exa mani de ourinar nax carpetex num xei… tenx que procuriar vem e ter munta xorte tamem… Max podex xempre ir ó beternário… ele até a pode crer…
Lu – bou masé Dário beijo a ti, tu nem magihnas o que é o beternário, sempre nakela do cu pa seringa, e ninguém pica o cu áha Vovia, taketo, lomje deçes murcoes….
Xu – ah, exe teu veijo xempre tão doxe… dá, dá dá… hummmmmmmmmm…
Lu – E prets, mas una mijita na parede…FIM

Palavras preferidas dos autores:
Luís: Vovia
Sofia: Vaca lhau
Digam-me quais foram as vossas…Lol…
Se a Senhora Ministra visse esta... nem pensava duas vezes em avaliar o meu trabalho!... Lol:)

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Um Tesouro…


Foi numa tarde que te conheci,
Em caminhos que também pisava.
Lindos momentos ali vivi,
Foi uma tarde bem passada!

No entanto, a noite chegou,
E a despedida, em surgir, teimava.
Eu não queria perder o que se passou,
Pois foi Especial o que, Contigo, eu trocara!

As Tuas, sempre, Doces palavras,
Os Teus Gestos de imensa Ternura,
Foram momentos que bastaram,
Para me conquistar com Doçura!

Obrigado por seres quem És,
E da forma como o fazes.
Quero continuar sempre Contigo
Simplesmente porque Gosto, Gosto Muito de Ti!

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Um Momento Apenas Nosso...


Recordo o Nosso primeiro momento,
Aquele em que estávamos apenas os dois...
Sentados, frente a frente,
E por entre a timidez,
Deixamos escapar várias palavras semelhantes,
Palavras que não passavam de uma mera repetição,
Daquilo que acabávamos de dizer...
Neste momento,
As nossas mãos decidiram unir-se,
E entrelaçadas, exploraram movimentos no espaço.
Os nossos olhares estavam luzentes...
Reflectiam as nossas almas,
Que, naquele momento, muito brilhavam!
Entre um movimento de mãos
E o cruzamento dos nossos olhares,
As palavras começavam a faltar,
Dando lugar a vagos instantes de silêncio...
Que, no momento, tentamos evitar...
Mas as palavras não saíam
E outros gestos queríamos mostrar...
Foi então que, no silêncio,
Os nossos corpos acabaram por se juntar...
Os meus braços envolveram o teu corpo,
E os teus, num gesto sublime, envolveram o meu,
Deixamos de lado a timidez e a invasão inicial e...
Trocaos carinhos num abraço apertado e profundo...
O teu coração batia, agora, mais perto do meu,
Sentia-o palpitar junto do meu peito...
Os nossos corpos pareciam dar lugar a uma só alma,
E os nossos lábios, transformaram-se num Apaixonado Beijo!

quinta-feira, 31 de julho de 2008

Perdida entre sonhos...


Dispersa entre sonhos rasgados,
Acumulo os meus pensamentos.
Idealizo vidas de estrados,
Preconizo belos momentos.

Deixo o pensamento fluir,
Enquanto a felicidade me invade.
Imagino o que estará para vir,
De um futuro, com ansiedade.

De repente, um murmúrio me espreita,
O meu corpo, assustado, estremece.
Tenho medo de sentir a rejeita
De um mundo polido que me acontece.

Entretanto os meus olhos despertam,
E, de um sonho, eu pude acordar.
Desejo que eles não se percam,
Porque o mesmo, eu quero realizar.

segunda-feira, 14 de julho de 2008

quarta-feira, 21 de maio de 2008

Gonguinhas, esta é para Ti!...;)


(Lindo, esta é a surpresa que gostava de ter tido cabeça para preparar no dia 21 de Abril passado. No entanto, dadas as circuntâncias pelas quais todos passamos, deves imaginar a impossibilidade, ou não disposição para o fazer. Já sabes que nesta data querida existe sempre algo que espera por ti... algo que, por muito pequeno que seja e possa ser insignificante para outras pessoas, sei que tu sabes valorizar)...



Grata fico por cada momento,
Onde a partilha se dá.
Neste e em cada dia,
Gerando o que de melhor há!
Um Tesouro te tornaste,
Inocente em minha vida,
Nela colocaste a esperança,
Há muito já perdida:
A mizade desejada…
Só Contigo foi vivida!

Gritei muitas vezes pelo teu nome,
O que fiz sempre com Ternura.
Sentindo a tua presença,
Tantas vezes, aquela doçura…
O que encantou minha crença!

Muitas vezes eu te sinto,
Um Amigo bem perto de mim,
Impedindo que a tristeza,
Te ataque e se apodere de mim assim!
Olha… olha sempre com leveza!

Deixa-me manter na tua vida
Eternamente, tal como te prometi…

Tu és um Tesouro,
Intensa parte de mim!




A minha Estrela...



Recordas aquela caminhada...
Caminhada que fizemos juntos

Pisando as areias de uma praia,
Apenas nós em nossos mundos?
Ontem, senti o desejo de repetir,
A vontade de o voltar a fazer,
Quis tanto sentir que estás aqui,
Que os pés a caminho, decidi meter!
Peguei naquela toalha,
Sim, aquela que tu tanto gostas...
Arranjei alguns trapinhos,
E lá fui eu de mochila às costas...
Caminhei norctunamente,
Pelos caminhos deambulando,
Desviei os meus passos,
E ao meu destino, fui chegando!
Pousei a mochila nas areias,
E, do seu interior, a minha toalha tirei,
Olhei em meu redor, sentindo a brisa,
E naquela noite, ali eu fiquei!
Sentada na nossa toalha,
O meu olhar, um sentido tomou:
Deixei que ele se guiasse,
Com o firmamento com que ali chegou!
As areias estavam secas,
E as águas muito calmas.
Ergui a cabeça e vi o Céu,
Reflectindo as Nossas Almas!
Senti a tua Terna presença,
Naquela noite, ali comigo,
Despi-me de argumentos,
E te senti o meu Abrigo!
Ergui minhas mãos para o Céu,
No desejo de te querer tocar.
Muitas estrelas eu pude ver,
E entre elas, uma a brilhar!
Senti que estavas ali,
Naquela noite, olhando por mim.
Não queria perder aquele momento,
Nem que a noite chegasse ao fim!
És a Minha Estrela Brilhante,
A Doce Harmonia em mão...
Tenho-te no meu pensamento,
Bem dentro do Meu Coração!

segunda-feira, 19 de maio de 2008

Quanto Não Vale Ter Uma Pessoa Assim Por Perto...

Responsável (tem a cabecinha no lugar)
Orientada (sabe bem o que quer e não quer na vida!)
Sensível (quem a magoar tem de se a ver comigo!)
Amiga (Não é preciso chamar… ela está sempre lá!)

Maravilhosa (prova disso é a convivência)
Amável (mostra o carinho que tem pelas pessoas)
Romântica (a música é o espelho da sua alma!)
Inteligente (procura as soluções para os problemas)
Alegre (deviam estar no nosso quarto para ver...)

Autónoma (procura desenrascar-se sozinha)
Natural (é o que é e mais nada!)
Tolerante (o que ela tem de aturar;)
Util (se não o fosse, não estaria agora aqui comigo)
Nervosa (um pouquito)
Eloquente (muito expressiva)
Simples (muito, muito: é a simplicidade em pessoa)

Atenciosa (aquele ombro amigo)
Respeitadora (conhece os limites do respeito)
Atenta (e preocupada com o mundinho que a rodeia)
Única (na sua forma de ser)
Jóia (o tesourinho que todos queremos ter!)
Organizada (está tudo no seu lugar)

terça-feira, 29 de abril de 2008

Eterna Saudade...



Fico sem saber, muitas vezes,
O que devo ou tenho de fazer.
Sinto a Saudade a apertar.
Tenho o coração a dizer:
Eu te Amo e sempre irei Amar!
É em ti que penso,
Sempre, em cada noite…
E até ti vou, sempre em pensamento…
Sinto a dor a incomodar,
E uma triste solidão.
Reparo em meu redor
Aguardando teu olhar na imensidão.
Sei que é Eterno este Amor!
Só queria ser feliz,
Estando tu comigo aqui.
Mas o Senhor assim quis,
Pois, fisicamente, te “perdi”.
Recordarei sempre de ti
E assim, te terei ao pé de mim!
O que posso eu fazer?
Vivo pensando em ti,
Escuto, ainda, as tuas palavras.
Relembro o que em ti vi,
Dispondo o Amor que me davas.
A minha alma sorri,
Desde aquele dia
Em que te vi!
Inocente me declarei,
Respeitando o que vinha de ti!
O nosso Amor é Eterno,
Aspira força e entrega,
Mesmo em momentos de dor,
Onde o Amor foi bem maior!
Respirando de alegria,
Desde aquele primeiro dia…
Atendi aos teus pedidos,
Mostrando querer estar contigo.
Idealizei o que seria vivido
Na certeza, de nada ser fingido.
Há agora que recordar,
A imensidão de emoções,
Valendo pelo que sentimos,
Interiormente, em nossos corações!
Descansa agora e sempre em paz e…
Acredita: Serás Sempre o Meu Verdadeiro Amor!

terça-feira, 18 de março de 2008

Tão Insólito Como Real!

Hoje tive a oportunidade de assistir a um momento único e que me tocou na alma…
Ia a pé, como faço habitualmente, para a Escola onde estou a realizar o estágio e numa das Praças encontrei um senhor, disfarçado de palhaço que estava a dar balões aos meninos que por ali passava. Os balões eram grandes, pequenos, vermelhos, verdes, amarelos, azuis, às riscas, às pintas… entre um e outro balão que oferecia, o senhor ia largando alguns que se perdiam no firmamento e que atraiam as pessoas para perto de si. Mas, no meio de todo aquele espectáculo de balões no ar, um menino de pele escura (Negro) desloca-se para junto do senhor e perguntou-lhe:

“Senhor, se tivesse um balão assim, preto como eu, e o soltasse, ele também subia?”
O senhor sorriu para o menino e respondeu:
“Meu filho, os balões sobem pelo que levam dentro e não pela sua cor.”

Ao escutar estas palavras, os meus olhos deixaram cair umas lágrimas…

Reflexão: Efectivamente, as pessoas valem por si mesmas e não pela roupa, pelo género, cor, carros ou outras coisas que possuam.
Pensem nisto!

quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Poesia da Eternidade...


A Amizade e tudo o que lhe é enerente, surge na minha vida como a mais bela poesia. Poesia essa que considero Eterna, até porque a real e verdadeira amizade tem também ela este sentido de Eternidade....

segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Queria Poder Ser...

Queria poder ser brisa,
Aquela que te quer tocar.
Passar por ti em cada dia,
E, em teus lábios, um Doce Beijo deixar…

Queria poder ser sol,
Para o teu dia iluminar.
Pegar na tua mão,
E nela, aquele Carinho poder mostrar…

Queria poder ser chuva,
E a teu lado aí estar.
Passar a minha mão no Teu Rosto,
Para, cada gotinha, eu conseguir limpar…

Queria poder ser Lágrima,
Aquela que do teu olhar cai.
Que percorre o teu rosto,
Escorrega em teu peito,
E no Teu Coração,
Encontra seu Eterno Leito…

sábado, 1 de dezembro de 2007

O Que Significas Para Mim...

Olha dentro dos meus olhos e verás o quanto significas para mim!
Procura-me no teu coração e na tua alma e quando me encontrares não precisarás de procurar mais nada!
Eu estou aqui!

Dor...


Maldita esta dor,
Dor que se faz tomar.
Na noite, durante o dia
Em todo e qualquer lugar!
Maldita esta dor,
Que não consigo definir,
Ficando ao relento
Esperando vê-la partir!
Maldita esta dor,
Que a dentro de mim chegou.
Não sei de onde veio,
Nem porque aqui ficou!
Maldita esta dor,
Que chegou sem dar sinal.
Que invadiu meu coração
E me faz sentir tão mal!
Maldita esta dor,
Que não vejo cessar.
Tenho um desejo vencer,
Vontade de a matar!

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Pensameno Do Dia...

Ninguém me cala! Ninguém me fará fazer aquilo que outros me fazem a mim! Há silêncios que não se compreendem. Há dores que se escondem dentro de nós. Ninguém me levará a acreditar que ainda és Meu Amigo! Talvez sintas despreso, mas é isto que também eu sinto agora!

terça-feira, 27 de novembro de 2007

Onde está o Meu Amigo?

Sim, onde está ele?
Onde está aquele coração personificado, que a sua mão estendia mesmo nos momentos em que acreditava que eu não ia conseguir atravessar a ponte?
Onde está a voz que quase mesmo dolorida, gritava o meu nome lá do alto da montanha?
Onde está o ser que dizia ser feliz quando escutava as minhas palavras de conforto?
Onde está a outra parte de mim, capaz de me compreender e de me dizer que o fazer e o agir pareciam sempre ser os meus melhores companheiros na caminhada da minha vida?
Onde está o sujeito, dono daquilo que construí para mim e a quem dei o meu respeito, a minha compreensão, os meus momentos mais preenchidos, a ternura com que embalo as palavras e a pureza de sentimentos para com o qual nutri?
Pois, eu não sei…
Não sei o porquê desta sensação de eliminação que tenho dentro de mim.
Não sei porque vivi desta forma preocupada com o seu bem e agora estou, talvez numa fase em que procuro compreender tudo o que se passa, mesmo sem ele estar aqui…
Eu não sei, não sei porque penso que precisa de mim, mesmo tendo esquecido que o meu coração se conforta com palavras de carinho e amizade.
Não sei porque dei uma parte total de mim, a quem agora pouco mostra querer…
Não sei sequer porque a dei…
Não sei porque desconheço esta forma, talvez inocente de viver, mas que me magoa por dentro na firmeza e certeza de uma verdade mais profundo e escondida por de trás daquilo que sempre vi e não queria ver…
Não sei porque não queres mais compreender as minhas palavras…
Não sei porque foges de mim, porque me olhas e te escondes por trás do tronco daquela árvore onde trocamos juras de amizade eterna…
Será que esqueceste tudo isso?
Será que todos os momentos que tivemos juntos não foram suficientes para poderes acreditar que sou uma pessoa de bem e que me perco por entre doces palavras de magia e sentimentos nutridos?
Será que preciso dizer mais uma vez que preciso de Ti, mesmo não estando contigo?
Será que não percebes que a distância te torna, ainda mais, um Ser Especial para mim e que a tua alma conforta o meu coração?
Será que terei de suplicar a tua amizade, uma vez que não a mostras ter por mim?
Talvez…
Mas procura-me: mostra-me que o que vivemos juntos não foi passageiro; mostra-me que algo ficou em Ti e que deste valor ao muito que trocamos; mostra-me que ainda te posso ver como aquele Amigo que para mim surge como uma noção de Tesouro…
Recorda os momentos pelos quais tiveste de passar para, assim, atingires o caminho de conquista que se abre em direcção ao meu coração.
Mostra-me que és capaz de ser aquilo que já foste comigo!
Grita novamente pelo meu nome, mesmo que a tua voz seja a de um ser mesquinho!
Volta a estender-me a mão e diz-me as palavras com que conquistas-te o meu coração.
Dá-me mais um momento de Felicidade como muitos, muitos que já tive contigo…
Mostra-me que ainda podemos ser parte integrante da vida um do outro!
Diz-me que ainda és a pessoa que conheci e pela qual, desde cedo, nutri um enorme sentimento de amizade!
Acima de tudo, mostra-me que eu ainda faço valer a pena!
Porque afinal, Eu Gosto Muito De Ti!